«

»

dez 12

Engajamento – Gestão de RH – Palestrantes Motivacionais

 

 

Engajamento questão de vida ou de morte!

Como fazer para trazer para as empresas pessoas que realmente irão vestir a camisa, assim como devemos proceder para que os colaboradores fiquem plenamente ligados a organização?

Sabemos que existe uma estreita ligação entre a participação efetiva do funcionário com o resultado financeiro das empresas.

Motivação é fundamental

Sem motivação ninguém produz, portanto um fator básico e fundamental é descobrirmos como deixar o time com vontade de inovar, criar, produzir, participar e colaborar, focando no objetivo final que é o sucesso da organização.

O envolvimento de corpo e alma é necessário para que uma conexão seja criada entre a empresa e o seu time, formando uma corrente com elos de aço, cujo resultado é fazer com que os funcionários se sintam prestigiados.

Teorias de motivação em geral não funcionam a contento, principalmente num país como o nosso, onde costumes e valores regionais são muito fortes e muitas vezes interferem diretamente na forma de agir e pensar da população.

Para quem conhece e trabalha nas diversas regiões, pode sentir o que estou afirmando, as soluções devem ser regionalizadas, mesmo em empresas que possuem filiais espalhadas pelo país, adaptações devem ser implementadas para o engajamento do time.

Acompanhamento continuo

Os fatores que atraem pessoas para uma empresa são diferentes dos que as mantém ligadas ao trabalho durante o ciclo de vida do colaborador, desta forma um acompanhamento contínuo se faz necessário, avaliando periodicamente o grau de satisfação do empregado.

A Arte de Reter é um assunto prioritário nos dias atuais, velhas lições devem ser revistas neste novo tempo das comunicações digitais, do mundo convergente e da utilização em larga escala das redes sociais.

A recriação de meios e processos teve início com o nascimento da internet e da convergência, todos estamos aprendendo novamente com as novas tecnologias, que por certo irão alavancar ainda mais o desenvolvimento dos povos.

Aquelas velhas fórmulas emboloradas e arcaicas de gestão, muitas preconizadas pelos velhos gurus, estão sendo modernizadas e adaptadas para o momento atual.

Novas cabeças digitais

Crianças já nascem conectadas digitalmente e dentro de poucos anos este contingente de novas cabeças irá participar ativamente do mundo empresarial. O que fazer para poder estruturar as bases sociais e tecnológicas que nortearão os futuros procedimentos técnicos, administrativos e sociais da massa trabalhadora?

Como tudo é novo, o aprendizado é On Time e Online, a recriação está apenas começando, quem viver verá a mudança de curso deste caudaloso rio cheio de incertezas, dúvidas e medos.

Os desafios são grandes e basta atentarmos para o caos financeiro mundial, iniciado no EUA em 2008 e se espalhando para a comunidade européia.

Daí a pergunta: onde estão os grandes gurus, economistas, administradores e políticos, que deixaram a estrutura desmoronar?

O exemplo da situação em que se encontram os maiores e mais importantes países do mundo nos mostra com muita transparência que a incompetência em gestão é uma realidade. Organizações e países são comandados por pessoas, que devem ter seus métodos reciclados e reaprendidos, sob pena de afundarem o barco de forma definitiva, acabando com a esperança de milhões de habitantes, que no fundo são obrigados a aceitarem os desmandos e a inoperância deste time.

Para estimular nossos colaboradores neste ambiente hostil, a luta se torna muito mais árdua, mas devemos insistir e aprender como gerenciar neste novo cenário.

Técnicas de liderança e gestão transparente

Sabemos que nas dificuldades é que aparecem as grandes soluções. Como não podemos consertar o mundo, consertamos a nossa casa, estimulando e retendo os nossos talentos, utilizando como base de ação, velhas técnicas de liderança e gestão transparente e participativa, obviamente adaptadas para os tempos modernos.

Núcleos de excelência estão sendo criados em algumas organizações, as quais são comandadas por profissionais cuja conduta foge do habitual e corriqueiro. São os Lideres Digitais que já estão entendendo como proceder no ambiente digital.

Para complementar este artigo alguns pensamentos:

“Um líder é quem lida com a esperança” Napoleão.

“Antes de conseguir inspirar com emoção, você mesmo precisa estar imerso em emoção. Antes de suscitar lágrimas nos outros, suas próprias lágrimas precisam ser derramadas. Para convencê-los, você mesmo precisa acreditar” Winston Churchill.

“Se suas ações inspiram os outros a sonhar mais, aprender mais, fazer mais e crescer mais, você é um líder” John Quincey Adans.

“Faça uma coisa que o assuste por dia” Eleanor Roosevelt.

E para finalizar, frase de Margaret Mead – Antropóloga cultural americana:

Conteúdo do Projeto Tocando sua Empresa – Palestrante Motivacional

www.vitaleweb.com.br

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Ricardo Monjardim

    Caro Marcus,
    Finalmente alguém manifesta com sensibilidade e propriedade a questão da importância estratégica da adequação de cargos e da preocupação na manutenção da sinergia entre empregados, em suas múltiplas relações com a empresa. De nada adiantam os mais sofisticados softwares de gestão, as brilhantes técnicas de treinamento e reciclagem, as mais modernas metodologias para atender a essa ou aquela funcionalidade, se não conseguirmos a CUMPLICIDADE do público interno, que é o principal responsável pela dinâmica do metabolismo empresarial, cada qual no desempenho de seu papel. A liderança eficaz é aquela cujos subordinados, ao contrário do que se prega por aí, vestem a camisa de sua chefia imediata. O Marketing Emocional, conforme as propostas e teorias mais amplas que desenvolvi recentemente, deve fazer parte de um projeto a ser desenvolvido com percepção e competência, para atuar estrategicamente na harmonização do clima organizacional, de forma isolada ou não.

    1. Marcius Vitale

      Caro Ricardo

      Agradeço suas considerações e me coloco a sua disposição.

      Feliz 2012

  2. Ricardo Monjardim

    Caro Marcius,
    Finalmente alguém manifesta com sensibilidade e propriedade a questão da importância estratégica da adequação de cargos e da preocupação na manutenção da sinergia entre empregados, em suas múltiplas relações com a empresa. De nada adiantam os mais sofisticados softwares de gestão, as brilhantes técnicas de treinamento e reciclagem, as mais modernas metodologias para atender a essa ou aquela funcionalidade, se não conseguirmos a CUMPLICIDADE do público interno, que é o principal responsável pela dinâmica do metabolismo empresarial, cada qual no desempenho de seu papel. A liderança eficaz é aquela cujos subordinados, ao contrário do que se prega por aí, vestem a camisa de sua chefia imediata. O Marketing Emocional, conforme as propostas e teorias mais amplas que desenvolvi recentemente, deve fazer parte de um projeto a ser desenvolvido com percepção e competência, para atuar estrategicamente na harmonização do clima organizacional, de forma isolada ou não.

    1. Marcius Vitale

      Caro Ricardo

      Agradeço seus comentários, me coloco a sua disposição para o que for necessário.

      Desejo ao amigo e familia um feliz natal e próspero 2012

      Abraços

      Marcius

  3. Georgios

    Com a evolução do conhecimento e conectividade das pessoas, está cada vez mais difícil para as empresas capturar a “mais valia” dos seus funcionários. A solução é distribuir poder (e aumentar a cobrança proporcionalmente) e distribuir resultados (participação nos lucros).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>